O Dia que Decidi Não Ser Mais um Pai

03/10/2017
Postado em Paternidade
03/10/2017 Rafael Lessa

O Dia que Decidi Não Ser Mais um Pai

Em fevereiro de 2009, tive o grande alegria de virar pai. Quanta emoção aquele dia me deu. O dia em que conheci a minha primogênita Letícia.  Muitas visitas, muitos presentes e muitas recomendações.

Levamos a Lelê pra casa e começamos a nossa rotina. Me envolvi com todas as atividades de um pai de primeira viagem. Dei banho, pus fralda e coloquei pra dormir. Foi um tempo maravilhoso com a nossa filha.

Foram-se passando os meses e ela foi ficando cada vez mais independente. Engatinhou, andou e falou. Com isso, minha vida voltou a ficar cada vez mais “normal”.

Contratamos uma babá para que pudéssemos voltar a trabalhar, afinal, a família, juntamente com as contas, tinha aumentado. Acredito que é o caminho que muitas famílias traçam quando os filhos ficam um pouquinho maiores.

Em pouco tempo, já estava naquela loucura novamente, saindo cedo para trabalhar e chegando a noite. Apesar de ser um pai atencioso, já não conseguia pegar minha filha nas melhores condições de brincar, por conta da rotina de sono dela.

Ela começou a ir a escola, ter seus primeiros trabalhinhos e até mesmo “deveres de casa”. E eu, nem sempre pude dar a melhor atenção a essas atividades, por conta dos inúmeros afazeres que sempre apareciam e que só parecem aumentar.

Até que um dia, uma cuidadora de idosos que trabalhava na casa de uma vizinha do condomínio chamou eu e minha esposa para conversar. A conversa foi arrasadora. Ela relatou que a nossa babá maltratava nossa filha em nossa ausência. Ficamos arrasados. Me senti o pior pai do mundo.

“Como não percebi?”, “Como deixamos isso acontecer?”, “O que poderia ter feito de diferente?”… Foram algumas das diversas perguntas que passaram pela nossa cabeça. Noites sem dormir e muitas conversas para tentar reavaliar e repensar a relação com a nossa filha.

Foi ai que tomei uma grande decisão: decidi que não seria mais um pai. Decidi que seria o Pai! Decidi que não iria apenas ser alguém que bota uma filha no mundo e conta com a sorte para que ela seja uma pessoa adulta feliz e realizada.

Decidi que seria um pai diferente. Um pai mais presente e dedicado. Iria assumir o protagonismo junto com a minha esposa, da formação da minha filha. Eu nunca poderia culpar outros pelo fracasso na criação da Letícia.

Com isso, reconfigurei a minha agenda, por completo. Deixei de viajar a trabalho, o que ocasionou em uma perda financeira significativa, mas acredito que os ganhos terei la na frente, compensariam esse temporário sacrifício do nosso orçamento.

Hoje, começo a trabalhar no período da tarde. Acompanho ela, todos os dias, na execução das tarefas escolares e sou o seu maior incentivador nos estudos. Aproveito esse tempo para conversar e conhecer mais de seu mundo e de seus pensamentos e sentimentos.

Aprendi com essa situação que se eu quero que ela seja a filha, eu deveria ser o pai; e não mais um pai qualquer.

Pai ou mãe, que está lendo esse texto, será que não é a sua hora de dar uma parada? Que mudanças na rotina você pode fazer a fim de reservar mais tempo para um dos projetos mais fascinantes e recompensadores que Deus te deu?

Vamos conversar! Qual o maior obstáculo que você tem enfrentado para ser O PAI ou A MÃE que seu filho ou filha precisa? Qual a dica que você dá para aqueles que tem dificuldade de ser esse pai e mãe?

Quero te ouvir. Deixe seu comentário aqui embaixo e vamos nos falando…

Comments (13)

  1. Me sinto honrada por ter você como meu amigo! Amei seu texto e valido cada palavra wue escreveu… ELE É O PAI!

    Vc vai longe com esse projeto, estou certa que ajudará muitossss!

    • Rafael Lessa

      Tamo Junto, Lucimar!

      Você é top! Ganhar um elogio de uma coach dessa…

  2. Antônio Pimenta

    Texto altamente necessário para os dias de hoje. Parabéns por sua decisão é por compartilhá-la. Edificante.

  3. Bruna

    Desde que minha cilha nasceu eu tento ser A mãe, fazemos tudo juntas, levo pra escola, vamos pro parquinho, temos nosso tempo paratudo. Gostaria muito que meu marido tambem tivesse esse pensamento de ser O Pai. Acho que com esforço tudo se encaixa, mas tem que querer! Bela atitude, te admiro muito.

    • Rafael Lessa

      Que bacana, Bruna!
      Infelizmente, tive que ter um susto pra poder dar aquela parada que dei… Que bom que vc começou certinho!

      Obrigado pelo carinho!

  4. Claudia

    Por isso que meu coração dói só em pensar em creche ou babá… Meu bebê tem 10 meses, até agora consegui dividir o cuidado com o pai e com a avó, mas não estou conseguindo ser muito produtiva, e estamos procurando opções…

    • Rafael Lessa

      Claudia, realmente, é uma decisão muito dificil…
      Temos que avaliar e procurar RECOMENDAÇÕES. Nunca busque ninguém sem recomendações.

      E vigiar de perto…

  5. Heloisa Di Lorenzo Peixoto

    👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏

    Senhor, o mundo precisa de pais como Rafael e Rute.
    Graças Senhor pelo pai e pela mãe da Leticia
    É o que temos para esta geração .
    Graças Senhor pelo milagre da multiplicação 🙌

    Com amor e orações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This